Aspectos Clínicos

Por Dr. Juliano C. Ludvig e Dra. Luiza D. Perini
Médicos, Especialistas em Gastroenterologia

O mecanismo básico da doença é uma resposta inflamatória nas paredes do esôfago a algum gatilho alimentar, ou seja, quando algum produto considerado alérgico toca nas paredes do órgão, gera uma reação local que se manifesta por inchaço local (edema), espessamento e em casos mais intensos comprometimento das camadas musculares. Essa resposta se manifesta de diferentes maneiras em diferentes idades.

Em adolescentes e adultos podem aparecer sintomas como dificuldade na descida do alimento ao engolir (impactação), dor ao engolir, podendo se assemelhar a outros quadros (por exemplo: refluxo). Já na população infantil, problemas alimentares crônicos, atraso no crescimento, vômito, azia, náuseas e desconforto abdominais são frequentemente relatados. Nesse estudo abaixo, observa-se a proporção de cada sintoma e freqüência em adultos (azul) e crianças (rosa).

Devido a seu mecanismo alérgico, a tendência da inflamação é permanecer ativa enquanto há estímulo, caracterizando o conceito de cronicidade. Entretanto, o dano na parede do órgão pode ser progressivo. A camada superficial da parede esofágica é inundada por um tipo específico de célula de defesa chamada EOSINÓFILOS (especializada em resposta alérgica), que normalmente são encontrados em número reduzidos. Isso provoca edema (inchaço) e espessamento superficial da parede. Entretanto, é nas camadas mais profundas que ocorre os maiores danos, com formação de tecido fibroso acarretando um endurecimento e diminuição do diâmetro do orgão. O resultado é um comprometimento na capacidade de transportar o alimento em direção ao estômago (disfagia/impactação) e aspecto específico da superfície esofágica visto em exame de endoscopia.

 

Dra. Luiza D. Perini é Médica, Especialista em Gastroenterologia pela Federação Brasileira de Gastroenterologia, Membro da diretoria da Acelbra-SC (Associação Brasileira dos Celíacos de Santa Catarina). Também é membro da Sociedade Brasileira de Motilidade Digestiva e Neurogastroenterologia, membro do Grupo de Estudos da Doença Inflamatória Intestinal do Brasil (GEDIIB) e International Member of the  merican Pancreatic Association (APA).

Dr. Juliano C. Ludvig é Médico, Especialista em Endoscopia Digestiva pela Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva – SOBED e Especialista em Gastroenterologia Clínica pela Federação Brasileira de Gastroenterologia – FBG. É Coordenador Regional da ABCD - Associação Brasileira de Colite e Doença de Crohn. É Membro Titular do GEDIIB - Grupo de Estudos das Doenças Inflamatórias Intestinais no Brasil. É Chefe do Setor de Gastroenterologia do Hospital Santa Isabel e Presidente do Centro de Estudos do mesmo hospital. Tem Residência Médica em Clínica Médica no Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo e Residência Médica em Gastroenterologia no Hospital do Servidor Público Estadual de São Paulo. Também é International Member of the American College of Gastroenterology e International Member Of the ECCO - European Crohn’s and Colitis Organization.

Contatos e solicitações de agendamento

Descreva em detalhes sua solicitação ou contato. Responderemos assim que possível através de um dos dados de contato informados abaixo.

*Campos obrigatórios

Canais de atendimento

Para fazer um agendamento de consulta, por favor utilize uma das formas de contato mostradas nesta seção.

Nosso horário de atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 18h.

Ed. Stein Tower - Rua Mal. Floriano Peixoto, 222 Sala 1203

Centro - 88160-076
Blumenau - SC

Controle sua privacidade

Nosso site usa cookies para melhorar a navegação. Clique em "Minhas opções" para gerenciar suas preferências de cookies.

Minhas Opções Aceito

Quem pode usar seus cookies?

×

Marketing (1)

Códigos de rastreio com intuito de coletar informações para melhorar sua experiência com anúnciosmais detalhes ›

Tag Manager

Cookies necessários (1)

São essenciais pois garantem a segurança da sua navegação e nos permitem dimensionar o volume de acessos que temos. Sem esses cookies, alguns serviços essenciais do site não podem ser fornecidos. Esse nível é o mais básico e não pode ser desativado.
Benefícios: Apenas os necessários para que o site funcione.
Exemplos: Segurança, sessão do usuário, estatística básica de acesso.mais detalhes ›

Google Analytics